Cuidados com as Pontas e Canetas Odontológicas

25.04-materia

Muitos CDs não adotam a prática de esterilização das canetas e alta e baixa rotação e peças de mão, com a justificativa do alto custo e nº insuficiente das mesmas, outros se referem à perda do material pelos danos causados ás turbinas e ainda um nº considerável de CD continuam refratários á prática da esterilização, pois a consideram desnecessária.

Lembramos que desde 1993, o CDC (1) publicou orientações para o controle de infecção em Odontologia, entre elas, a autoclavação das peças de mão, a importância da presença das válvulas anti-refluxo para prevenir a aspiração de material orgânico e recomendou o acionamento do sistema para liberação de água após o uso para limpeza das tubulações.

Essas recomendações do “século passado” foram atualizadas, e em 2008 Rutala (2) novamente enfatizou a necessidade da esterilização das peças de mão em autoclave.

Para que as canetas e peças de mão tenham a durabilidade assegurada deve-se adotar uma rotina diária que deverá seguir sempre as orientações do fabricante.

  • A limpeza das canetas remove fisicamente a sujidade e matérias orgânicas e garante a eficácia da desinfecção e esterilização. Recomenda-se o uso de detergente enzimático ou neutro recomendado para uso hospitalar.
  • A secagem externa deve ser feita com compressas de tecido e a interna, se possível, utilizar ar comprimido
  • Lubrificar aplicando o jato de spray que deve durar de 2 a 3 segundos, para que haja uma lubrificação eficiente no corpo e na cabeça do instrumento.
  • Embalar adequadamente
  • Esterilizar em autoclave

O correto é lubrificar os instrumentos antes de autoclavá-los, para que haja uma maior proteção dos mecanismos internos da peça durante o processo de esterilização.

 

Fonte: https://goo.gl/XdsdV7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *